quinta-feira, 28 de maio de 2015

Nasci 18 anos depois do acontecimento que é hoje efeméride.
A verdade é que esperei 30 anos para assistir ao fim desse regime que nasceu 18 anos antes de eu ver a luz do dia.
A 28 de Maio de 1926 os generais Gomes da Costa, Mendes Cabeçadas e outros militares e civis apoiantes, comandam uma revolução cujo objectivo , conseguido, era acabar com o parlamentarismo e instaurar uma ditadura militar
Ditadura militar no poder tinha muita gente a mexer na panela, Mendes Cabeçadas era o presidente que se deixou enganar pelo Gomes da Costa que era o dono da revolução, só um dono da revolução é que podia descer, gloriosamente, montado num cavalo a avenida da Liberdade mais 15.000 soldados, tal e qual general romano em plena Roma, mas entretanto aparece outro general que também mexia na panela, mas que além de uma grande colher também tinha uma faca e um bote, chamava-se Óscar Carmona, não está com meias medidas, aponta a faca ao Gomes da Costa mete-o dentro do barco e manda-o remar até aos Açores, com esta diatribe toma o lugar de presidente e a ditadura militar passa a ditadura nacional (já apanha mais gente) e para que tudo seja legitimo (penso eu) fez-se eleger presidente por sufrágio universal (pois está claro).
Então o general Óscar Carmona manda vir de Coimbra um tal senhor muito esperto e inteligente de nome António Oliveira Salazar, já tinha estado ao pé da panela mas foi-se embora por não gostar da caldeirada, desta vez ele veio para ficar (ficou até aparecer a tal cadeira traiçoeira), e a ditadura nacional passou a chamar-se estado novo, parecia mal chamar ditadura a uma coisa que estava-se mesmo a ver que o era.
Ora é claro que ninguém podia falar mal duma coisa nova (até desapareceu como novo), assim apareceu o corporativismo que foi inspirado numa coisa muito velha, a censura (nada como uma senhora velha para tomar conta do neófito), a PVDE (alguns chamavam pevide) policia de vigilância e defesa do estado, passou depois a ser PIDE policial internacional de defesa do estado e acabou por ser mais tarde DGS direcção geral de segurança (só mudava o nome), prendiam que se fartavam e matavam muito bem (qualidades), e muitas outros rebentos teve o estado novo.
Que enorme alegria tive no 25 de Abril de 1974, mas hoje 28 de Maio de 2015 estou triste e apreensivo.

Sem comentários: