terça-feira, 28 de abril de 2015

HINO DA ESCOLA CONDE DE FERREIRA DE SETÚBAL

Batas brancas na busca do saber,
Entre leituras, ditados, tabuadas,
A obrigação era  só aprender,
A toque do ponteiro e das reguadas.

A carteira e o tinteiro em porcelana,
Mata borrão, caneta e tinta azul,
E o receio de quem sempre se engana.
Juntinho ao Sado que vem de lá do Sul.

Da Conde de Ferreira,
Somos sábios.
Passámos fronteiras,
Altos muros.
Em vários fusos horários
Construímos o tempo
Dos Futuros.                                                         Refrão
O saber não se esgota no momento.
E é da memória
Que se é feliz.                                                                                 
Cantemos todos juntos de vitória.       
Que a fraca árvore
Sempre criou raiz.

Dessa árvore que nós somos os ramos,
Somos as folhas, os frutos e as flores.
É por isso que ainda nos lembramos
O que aprendemos com os nossos professores.

Foi a vontade do Conde de Ferreira.
Homem livre, defensor da igualdade,
Que nos deixou uma escola verdadeira,
Onde aprendemos a palavra liberdade

Da Conde de Ferreira,
Somos sábios.
Passámos fronteiras,
Altos muros.
Em vários fusos horários
Construímos o tempo
Dos Futuros.                                                         Refrão                    
O saber não se esgota no momento.
E é da memória
Que se é feliz.                                                                                 
Cantemos todos juntos de vitória.   

Que a fraca árvore                                            bis

Sempre criou raiz.


Letra : Carlos Rodrigues
Música : Carlos Pinto


Este hino foi composto por ocasião do 20º encontro dos antigos alunos da escola Conde de Ferreira, Maio de 2003.

O ano passado estava muito debilitado, tinha acabado de sair do hospital e não fui ao almoço mas este ano não falto.
Este é o 32º almoço nele aparecem colegas de várias idades abrangendo sei lá quantas gerações.
Isto é bonito.

Sem comentários: