quarta-feira, 5 de novembro de 2008

O que é talvez?

Pela minha vida fora tentei sempre ser mais observador do que crítico, embora considere a crítica necessária para que a partir dela se analise os erros ou a sua não existência.
Dizia um amigo meu que quem não sabe fazer crítica, o que não quer dizer que seja um mau crítico, e acrescentava, de um mau vinho pode nascer um excelente vinagre.
Mas como observador acritico não consigo compreender as manigâncias que parecem existir à minha volta.
A saber:
O Presidente veta a lei e depois aprova a mesma lei fazendo acompanhar essa aprovação de um relatório (digamos) a dizer que não gosta dela.
Enquanto as pessoas passam mal arranjam-se milhões para salvar os bancos em nome da salvação da economia.
Nacionaliza-se um banco para garantir os depósitos dos clientes, o que está correcto. Mas onde está o ladrão ou ladrões, o vigarista ou vigaristas, o cavador ou cavadores que abriram o buraco de 700 milhões de euros?
E afinal parece que todo o Mundo depende de um só país imperialista ao estilo romano que elgeu um presidente que talvez vá mudar o MUNDO!??????