sábado, 29 de dezembro de 2007

Serei banqueiro?

Com a observação que tenho feito destas guerras pela administração do BCP-Millenium, vem-me à cabeça reflecções, esquisitas talvez para quem conheça bem esse meandros do capital, mas são minhas e aceito de bom grado todos os epítetos que acharem por bem apopdarem-me.
Ora bem, o que me pareceu ao princípio é que uns senhores muito ricos não queriam que outros senhores muitos ricos, mexessem nos seus riquissimos dinheiros à tripa forra sem lhes caber alguma parte da tripa, ponto final paragrafo.
Depois pareceu-me que afinal todos tinham comido da tripa e do feijão mas não do mesmo lado da gamela.
Agora parece-me que os políticos (partidos evidentemente) querem disputar entre si um espaço nas bordas da gamela. E muito bem porque os donos das tripas precisam deles, para darem cobertura aos enchimentos das tripas e aforrarem mais à vontade.
Com isto tudo... ora vejamos: o da Caixa Geral Depósitos vai para o BCP-Millenium, dizem que é do PS, e vem para a Caixa um que já é da Caixa que dizem que é do PSD... pronto tudo bem.
Mas eu pregunto se também não há lugar para mim?
No BCP-Millenium está fora de questão porque é privado (salvo seja), mas a Caixa Geral de Depósitos é o banco do Estado, eu que pago impostos ao estado também posso ir para a administração do banco?...
Querem ver que eu sou banqueiro e não sabia?!

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Noites longas

O conceito romântico do Outono cada vez o sinto mais distante de mim, é verdade que as folha vão caindo e a mesclação do verde com o amarelo e castanho com laivos de vermelho por dentro, me fazem sentir uma certa angustia interior e exterior.
Temos no Outono, isso é verdade, uma série de efemérides que nos fazem reflectir, ou deveriam fazê-lo, na nossa existência neste Portugal Europeu, e só vou recordar os feriados:
- 5 de Outubro, a implantação da Républica.
- 1 de Novembro, dia de todos os Santos e de venerar os mortos.
- 1 de Dezembro, dia da Restauração da independência Nacional face ao dominio Espanhol.
- 8 de Dezembro, dia da Imaculada Conceição Padroeira de Portugal.
Mas continuam a acontecer muitas outras coisas neste Outono seco de castanha magra, como o magro orçamento para muitos, mas gordo para poucos, que se discute no Parlamento, as discrepâncias aeoroportuárias, os fogos, as Casa Pia, as crianças roubadas, as por roubar, os vários crimes dourados, etc...
Ah, e a Presidência Europeia.
Com muito sol no curto dia, porque as noite são longas, tão longas que não sei se o sol raiará nas nossas almas tal a escuridão que se vislumbra.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Repetição ou não?!...

O tratado de Lisboa parece dar uma grande alegria, a quem? Ao governo portugês que sobe ao pedestal? Com um Socrates eganador e pouco filósofo? Aos outros paises porque conseguiram, não tudo, mas suficiente para ludibriarem os seus povos?
E à gente, que sofre as arguras das más governações deliciosas solicitadoras do aperta o cinto, só resta o quê?
Uma vaga esperança de encontrar o furo onde enfiar a fivela.
Como se o povo já tivesse cinto, por que nesta altura do vale tudo o que se quer é calça larga e peido fácil e quem não o souber fazer não come fino.
Mas as coisas, e por via dos factos impostos, lá vão correndo de acordo com os mandantes ou mandados (inebe-me chamar-lhe politicos) e aparentemente tudo está certo.
As seringas continuam e vão continuar a ser entregues nas cadeias e muito bem.
O senhor ministro diz que são os serviços de saúde dos respectivos establecimentos prisionais
que controlam as seringas, muito bem, está em causa a sanidade das prisões,e diz mais, que os guardas prisionais vão apreender toda a droga que encontrarem...
Sendo assim, para que servem os Kits das seringas?
Bonito seria os serviços de saúde fornecerem a heroina e a coca juntamente com o Kit.
Mas se tal acontecesse como é que os senhores apodados de ministros justificariam aos traficantes das drogas, que pagam os Kits das seringas, estarem a estragar lhes o negócio?
E os pobres guardas prisionais vão apreender o quê?
Tudo isto é confuso... como o tratado.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Pergunta

Desde segunda feira que só se fala na imprensa (toda) da distribuição, creio que gratuita, de seringas nas prisões para que os reclusos toxicodependentes se possam injectar à vontade sem correr o risco de apanharem doenças infecto-contagiosas como a sida, a hepatite (A, B ou C...) e/ou outras.
Até aqui tudo bem, os nossos impostos vão pagar as seringas.
Mas pergunta que eu gostava que me respondecem, é esta:
Quem é que paga a droga?

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Dia Internacional da Paz

Quando acabar de escrever estas linhas, provavelmente o Dia Internacional da Paz já acabou, e não começarão novas guerras porque as antigas nunca acabaram (e quando digo antigas, digo muito antigas mesmo, creio que desde a nossa origem como humanos).
E o facto é que pouca inportância se deu à efeméride, pelo menos no nosso país, nos notíciários radiofónicos e televisivos, não dei conta de qualquer referência, na imprensa escrita apenas uma referência engraçada num cartoon do Correio da Manhã.
Mas de guerras informou-se com fartura: a guerra Mourinho, a guerra Scolari, a guerra da Assembleia da República, a guerra de Israel contra a Síria e conta a faixa de Gaza, a guerra do aumento do petróleo (principal promotor de guerras), a guerra do ano lectivo que começou, a guerra do Iraque, Afeganistão e Darfur, a guerra do senhor Ayman Al-Zawahiri que até quer reconquistar a Andaluzia, as guerras que o Bush e seu apaniguados andam a engendrar, muitas outras que fastidioso seria estar para aqui a arrolar.
Mas curioso: num intervalo da transmissão em directo da Volta à Espanha em bicicleta, a TVE mostrou uma pomba branca com o respectivo raminho de oliveira informando e lembrando que era o Dia Internacional da Paz (espanholadas).
Em 1981 a Assembleia Geral da ONU criou este dia. Kofi Annan secretári geral disse em 1998:“a todos os líderes das nações em guerras que deixassem de lado suas próprias ambições e que pensassem no seu povo, que resistissem a tentação de buscar a glória por meio das conquistas e que reconhecessem que a capacidade de governar pacificamente, por si mesmo, traria para eles e seus povos as recompensas que merecem”, Mais tarde em 21 de Setembro de 2006, o mesmo Kofi Annan afirmou: Há vinte e cinco anos, a Assembleia Geral [da ONU] proclamou o Dia Internacional da Paz como um dia de cessar-fogo e de não violência em todo o mundo. Desde então a ONU tem celebrado este dia, cuja finalidade não é apenas que as pessoas pensem na paz, mas sim que façam também algo a favor da paz.
O Papa Paulo VI criou a 8 de dezembro de 1967 o Dia da Paz que depois passou a ser denominado Dia Mundial da Paz que é celebredo no dia primeiro de cada ano.
A verdade é que no primeiro dia do ano grande parte das gentes pensa é em curar a ressaca provocada pelos festejos, o que, diga-se de passagem, é uma boa maneira de estar em paz.
É triste: há quarenta anos um Papa quiz a paz por um dia, há vinte e seis anos a ONU criou mais outro dia da paz.
Então e nos outros dias do ano?

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Meu querido Bocage

Não quero estragar o teu aniversário com queixumes, pois na quatratura poética da tua obra não cabe este estilo usual da nacional desgraça, tu lutavas e desdidizias-te o que é próprio dos génios.
Eu adoro os teus sonetos e quando os leio decubro sempre coisas novas que nos querias dizer, ou talvez não soubesses que as querias dizer, é por isso que eu fico largos tempos sem te ler e desisti de decorar os teus versos, para ter o prazer de os achar de novo e de forma diferente.
Hoje li-te com olhos de século XXI, como anteriormente te li com olhos de século XX e nos diversos estádios da minha existência e ao recordá-los quase que consigo definir as etapas do meu desenvolvimento intelectual
Aos quinze anos "Olha, Marilia, s flautas dos pastores.... Vê como ali, beijando-se, os Amores incitam nossos ósculos ardentes!..." aos dezoito anos "Amor ou dersfalece, ou pára, ou corre; e,segundo as diversas naturezas, um profia este esquece, aquele morre." aos vinte anos e por aí adiante "Quem se vê maltratado e combatido pelas cruéis angústias da indigência, quem sofre de inimigos a violência, quem geme de tiranos oprimido..." e depois "liberdade , onde estás? Quem te demora...." ou "Liberdade querida e suspirada...".
Hoje és muito mais do que isso tudo, mas continuas a ser além do grande poeta, o exemplo do contestatário inteligente, do irreverente crédulo na esperança, do amante amado sobre todos os amores (às vezes traídos), do humanisno ditado pelo coração, uma bandeira da liberdade.
Meu amigo... aqui e agora não irias gostar desta democracia de grilhetas envoltas em de veludo grenat.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Ausência

Vou-me ausentar e descansar à sombra dos pinheiros, não que mereça mas se posso porque não aproveitar.
É bom descansar vivo.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Efeméride

No jornal "O Público" de 29 de Agosto último recordava-se o assassínio de Atahualpa o último imperador Inca.
O facto é que Francisco Pizarro e Diogo de Almagro armaram-lhe uma emboscada e mais uma vez foi a Igreja que provocou e com essa provocação justificou o massacre de 30 mil homens, por pouco mais de centena e meia de homens que só queriam ouro e prata.
Os Incas eram muitos, mas só tinham lanças e espadas, os espanhóis artilharia, arcabuzes que cuspiam fogo, coisas que os guerreiros incas desconheciam.
E isto passou-se 33 anos depois da descoberta da América por Colombo e ainda não havia telegrafo, telefone, televisão, satélites, telemóveis, computadores e tantas outras coisas... o que me faz penssar, que o que aconteceu antes, com aquela diferença de anos, quando os barcos eram empurrados pelo vento, (quando havia) se com toda a nossa moderna tecnologia não irá acontecer um caso idêntico mas de vespera; ou já aconteceu?!
E embora hoje já seja vulgar as armas de fogo, a minha questão é que uns (muitos) têm armas que fazem pum e outros (poucos) têm armas que fazem repumpumrepumetrepum e sem que ninguém os veja.
Não posso deixar de ter esperança, mas tenho medo.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Quem porfia...

Tenho andado numa obstinação para ver se consigo entender-me com todas estas tecnologias dos computadores, posso garantir que não ir atrás das loas do primeiro ministro e também não quero ocupar um lugar qualquer onde sejam necessários estes conhecimentos, parafraseando o meu saudoso tio Luis "se eu quisesse trabalhar tinha ido para a polícia".
E cá vou na minha teimosa busca de autodidata entendendo aos poucochinhos estas maravilhosas máquinas e fico contente quando descobro que fui capaz de fazer uma determinada tarefa que esqueço logo a seguir, e toca a refazer tudo, falhando aqui acertando acolá e por fim a alegria me invade outra vez porque consegui e repetindo muitas vezes vou conseguindo as minhas pequenas vitórias ao mesmo tempo alargo o meu conhecimento.

Gmail - Picture 13.jpg

Gmail - Picture 13.jpg

Blogger: Editar perfil do utilizador

Blogger: Editar perfil do utilizador

domingo, 26 de agosto de 2007

Acontece-me cada uma

Chegamos do parque de campismo, eu e a minha mulher, ainda fui ao café ver o Porto-Sporting e quando cheguei a casa ela pediu-me para ver no computador se encontrava alguma coisa sobre as qualidades medicinais do chá príncipe e encontrei.
Mas para encontrar andei portanto lado que acabei também por descobrir outras coisas: que o chá príncipe tem uma data de nomes que é originário da Índia e dá para fazer um óleo repelente para os insectos, sabedoria que me vai fazer muito jeito lá para o campismo,e que uma senhora a quem ofereeceram um vaso de chá príncipe trata a planta com uma ternura enternecedora, um senhor que se pergunta se o Presidete da Répública não foi à Índia buscar chá príncipe, o que achei muita piada, e uma senhora foi dar um passeio pedestre e masturbou um pepino de São Gregório, que tembém se chama pepino do diabo.
E com estas voltas todas fiquei a saber que existem duas freguesias de São Gregório em Portugal, uma em Arraiolos outra nas Caldas da Rainha, que há três São Gregório e quatro Papas Gregório que também são São.
No fim disto tudo acabei por criar um Blog, uma coisa que nunca me tinha passado pela cabeça.